Cinema e TV

5 filmes que foram dirigidos por mulheres e você não sabia

17:04:00

        Durante minhas férias forçadas, motivo pelo qual eu criei esse blog, passei parte do meu tempo navegando pelas categorias da Netflix, na busca de algo pra me distrair das dores de um tornozelo quebrado. Assisti alguns filmes e uma coisa nada positiva me chamou bastante atenção: dos diversos filmes disponibilizados pela plataforma, pouquíssimos são dirigidos por mulheres.
          Como não sou grande conhecedora da 7ª arte mas sou bastante curiosa, comecei a pesquisar sobre o assunto. Confesso que não fiquei muito feliz com o que encontrei. Segundo uma matéria de um site de notícias, as mulheres são responsáveis pela direção de apenas 7% dos principais filmes de Hollywood e só em 2010 Kathryn Bigelow se tornou a primeira mulher a ganhar um Oscar de Melhor Direção por “Guerra ao Terror". Em 2010! Tem cabimento? 
           Sabendo disso, decidi listar 5 filmes que você talvez não saiba que tenha sido dirigido por uma mulher. O resultado é o seguinte:

1. Pequena Miss Sunshine - Valerie Faris
 
   Alguns filmes agradam a crítica, outros o público. Esse agradou os dois. Dirigido por Valerie Faris, Pequena Miss Sunshine é um destaque do cenário independente e traz a história da desengonçada Olive, que, após ser convidada para participar de um concurso de beleza para meninas, une sua família cheia de diferenças numa kombi enferrujada. 
           O filme traz uma mensagem maravilhosa sobre perder, ganhar e sobre aceitação. A inocência da personagem principal deixa a produção extremamente doce, e os acontecimentos meio “sem noção” que se passam durante o percurso na estrada só fazem a obra se tornar mais leve e gostosa de assistir.
 
2. Que horas ela volta? - Anna Muylaert

           Eu precisava colocar uma diretora brasileira na lista, e como Que horas ela volta? foi um filme que levantou diversos debates na época de sua estreia, não pensei duas vezes. O filme é um retrato de relação rico x pobre/patrões x empregados aqui no Brasil. Val (Regina Casé) é uma empregada doméstica “quase da família” rica para quem trabalha, mas que come em mesa separada e dorme no quartinho dos fundos. Sua filha, que deixou no Nordeste quando foi para São Paulo trabalhar, vai para a casa dos patrões da mãe para prestar o mesmo vestibular que o filho deles. E as coisas começam a dar errado quando ela “passa dos limites” da relação estabelecida.
          O filme é considerado o melhor de Muylaert, que já é conhecida por tratar de diferenças sociais em suas obras. Foi indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro.

3. As sufragistas - Sarah Gavron
 
           Acho que esse filme não seria tão representativo e simbólico se não fosse dirigido por uma mulher. As Sufragistas trata da luta das mulheres pelo direito de voto no início do século XX e traz em seu elenco nomes como Meryl Streep (mesmo aparecendo apenas rapidamente), Helena Bonham Carter e Carey Mulligan.
            O que mais me chamou atenção foi como a personagem principal foi apresentada: Maud Watts (Mulligan) não é nenhuma militante ativista e nem tem alguma formação política. Ela toma conhecimento pelos seus direitos aos poucos e então começa a lutar por eles, sem deixar de lado os cuidados de seu marido e filho. 
           Apesar de se tratar de uma obra histórica, o tema retratado no filme, como sabemos, é bastante atual. A luta pelo direito de votos representa metaforicamente a nossa luta pela igualdade. Ah, e outro detalhe, a roteirista do filme foi a Abi Morgan.

4. Precisamos Falar Sobre Kevin - Lynne Ramsay

            Um dos meus filmes preferidos e acho que quem tem curiosidade sobre a incógnita mente humana tem a mesma opinião. O filme trata, de forma perturbadora, da relação de Eva (Tilda Swinton) com seu primogênito Kevin (Jasper Newell/Ezra Miller) e como ela se sente culpada pelas más atitudes despreocupadas do filho que, desde as primeiras cenas do filme, parece odiá-la. Lynne Ramsay nos dá um quebra-cabeça que se monta por si só, uma linha do tempo não linear impecável. Quem gostaria de entender o que motiva massacres como o da boate Kiss ou o da escola Realengo, pode se surpreender com a possibilidade de que aquilo tudo seja apenas por puro prazer pelo proibido, sem se preocupar com o bem estar do outro. Como o próprio Kevin diz, “There’s no point. That’s the point”.
            Outro ponto importante no filme, é que Eva em nenhum momento queria ser mãe. Ela, uma escritora de livros de turismo que adorava viajar, temia que a maternidade a afastasse da vida que gostava de viver. Em sua primeira gravidez ela se isola e apresenta sinais de depressão, e, na segunda, só conta ao marido porque Kevin diz que ela “está gorda”. E durante todo o filme, ela ainda não parece ter se acostumado com a ideia de mãe provedora, mesmo com a segunda filha, Celia, com quem tem uma relação bem menos tensa. Sendo esse, talvez, um dos motivos pelos quais ela tenha tomado para si a culpa dos atos do filho.
           Eu poderia escrever por horas sobre esse filme, é realmente maravilhoso e foi sucesso no festival de Cannes. Uma pena ser o único grande título dessa diretora.

5. Frida - Julie Taymor

            Esse foi o último filme que assisti antes de escrever esse post e acho que da lista é o meu preferido. Apesar de focar mais no relacionamento de Frida (interpretada por Salma Hayek) com seu marido infiel, Diego Rivera, do que em sua personalidade, acho que o filme conseguiu trazer a essência da mexicana. Quando descobri que ele tinha sido dirigido por uma mulher, me apaixonei mais ainda pelo obra. Julie também dirige musicais, como O Rei Leão, e foi a primeira mulher a ganhar um Tony Award na categoria Melhor Direção de Musical. Outra obra de sucesso dirigida por ela é Across the Universe.

E, aí, o que vocês acharam da lista? Conhecem mais filmes famosos que foram dirigidos por mulheres? Conta pra mim aqui nos comentários. ;)

You Might Also Like

4 comentários

  1. Primeiro post e já chega chegando! Amei, boa nova jornada pra vc s2

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Realmente não sabia. Só assisti a dois dessa lista, preciso mudar isso!

    ResponderExcluir

INSTAGRAM


Facebook